Um Aviador Irlandês Prevê sua Morte ~ W. B. Yeats

William Butler Yeats (Dublin, 13 de Junho de 1865 — Menton, França, 28 de Janeiro de 1939) foi um poeta, dramaturgo e místico irlandês. Atuou ativamente no Renascimento Literário Irlandês. Foi senador irlandês, foi premiado com o Nobel de Literatura de 1923. O Comité de entrega do prémio justificou a sua decisão pela “sua poesia sempre inspirada, que através de uma forma de elevado nível artístico dá expressão ao espírito de toda uma nação.” Em 1934 compartilhou o Prémio Gothenburg para poesia com Rudyard Kipling.

Um Aviador Irlandês Prevê sua Morte *
W. B. Yeats

Eu sei que meu destino chegará logo
Entre as nuvens, em algum lugar;
Contra os que luto, mazelas não rogo,
Aqueles que prezo não sei amar;
A vila de Kiltartan Cross** é o meu país,
E quem lá vive já nasceu pobre,
Fim algum faria alguém mais feliz
Fim algum faria alguém mais nobre.
Nem lei ou dever me forçaram esta batalha,
Nenhum homem público, nem multidões,
Um impulso solitário, só, uma centelha
Levou-me ao tumulto destes aviões;
Ponderei tudo, todos me vieram à mente,
Os anos vindouros me pareceram de pouca sorte,
Fôlego retirado de um passado distante
Em equilíbrio com minha vida, minha morte.

* O aviador do título é Robert Gregory (20/05/1881, Co. Galway, Irlanda – 23/01/1918, perto de Grossa, Pádua, Itália), amigo de Yeats. Segundo Yeats, Gregory era o último homem da Renascença. Chegou a exibir suas pinturas em Chelsea, em 1914. Em 1915 juntou-se ao 4o Connaught Rangers – regimento irlandês do Exército britânico, formado em 1881 pela fusão do 88o e do 94o Regimentos de Infantaria. Gregory ganhou uma Cruz Militar por atos de bravura e devoção ao dever. Ele morreu tragicamente aos 37 anos, em 1918, abatido por engano por um piloto italiano. A morte de Robert Gregory marcou profundamente Yeats, levando-o a escrever 4 poemas para o amigo: In Memory of Major Robert Gregory, An Irish Airman Foresees His Death, Shepherd and Goatherd, e Reprisals.
** Kiltartan Cross é um pedaço de terra perto do Parque Coole, próximo à casa de Gregory, no Condado de Galway, República da Irlanda.

An Irish Airman Foresees His Death
W. B. Yeats

I know that I shall meet my fate
Somewhere among the clouds above;
Those that I fight I do not hate,
Those that I guard I do not love;
My country is Kiltartan Cross,
My countrymen Kiltartan’s poor,
No likely end could bring them loss
Or leave them happier than before.
Nor law, nor duty bade me fight,
Nor public men, nor cheering crowds,
A lonely impulse of delight
Drove to this tumult in the clouds;
I balanced all, brought all to mind,
The years to come seemed waste of breath,
A waste of breath the years behind
In balance with this life, this death.

Eduardo Miranda é músico, escritor, poeta, e tradutor. Guitarrista e fundador do grupo WEJAH, atualmente lidera o projeto musical The Virtual Em3, é integrante da banda Wellfish e colabora no Stillwater Project. Publicou Quase (Casa Pyndahýba, poesia, 1998) e as coletâneas Amigos (Casa Pyndahýba, 1994) e Contra Lamúria (Casa Pyndahýba, 1995). Editor de TUDA, também dá expediente em alguns blogs, e nas horas vagas é Consultor de Tecnologia da Informação em Dublin, República da Irlanda.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s