Forgivenesses ~ Plínio de Aguiar

Baiano de Salvador, Plínio de Aguiar (1939-) é antropólogo, filósofo e especialista em ensino superior. Ex-professor universitário, publicou poemas em plaquetas, antologias, coletâneas e suplementos literários. Mas sua estréia em livro-solo deu-se apenas em 2005, com o título Lira Rústica. Atento ao mundo que o cerca, Plínio de Aguiar combina em seus textos referências diretas ou discretas de poetas, pensadores e artistas. São também abundantes as citações de lugares por onde traçou seu percurso existencial, principalmente na Bahia e no México, onde viveu durante quatro anos.

Forgivenesses

My father in a certain morning near noon
came with a vinyl disc
78 rpm “little pieces of
sky” by Waldir Azevedo
put it in the brand new turntable
new needle; teenager
wenching a whore in the whorehouse
in a warm afternoon I insistently
asked him some money and headed to
the most chic street in the city by day
full of whores and pimps by night
to buy Franz Schubert’s unfinished symphony

plenty of acne

I see now his white
moustache bent on his peaceful
laughter
I track down a pattern in the face furrows
touched by obtuse time

but find nothing

I insist and recall
I set afflicted spotlight on the slope of forgivenesses
waiting for the rising of the lump
diagonal white linen English suit
a package under the strong arm
full of flames which could light up
the most ethereal solution of survival

I put the spotlight out
burnt the night.

Perdões

Meu pai numa certa manhã perto do meio-dia
chegou com um disco vinil
78 rotações pedacinhos do
céu waldir azevedo
colocou-o no picape último modelo
agulha nova; adolescente
e com amante no mangue
numa tarde morna pedi-lhe
dinheiro insistentemente e fui comprar
na rua mais chique da cidade de dia
cheia de putas e cafetões de noite
sinfonia inacabada franz schubert

repleto de acne

vejo agora seu bigode
branco arqueado sobre o riso
tranqüilo
busco espelho nos sulcos do rosto
tocados por tempo rombudo

e nada encontro

insisto e lembro
fixava holofote aflito na ladeira dos perdões
aguardando o vulto subindo
terno de linho branco diagonal inglês
pacote sob o braço fortíssimo
repleto dos fogos que acenderia
fósforo farmacêutico da sobrevivência

eu apagava o holofote
incendiava a noite.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s